Ir al contenido

Dialnet


Intoxicação por veneno de sapo em um canino

  • Autores: Luciana Sonne, Daniela Bernadete Rozza, Adriana Nunes Wolffenbüttel, Adriana Erica Wilkes Burton Meirelles, Pedro Miguel Ocampos Pedroso, Eduardo Conceição de Oliveira, David Driemeier
  • Localización: Ciencia rural, ISSN 0103-8478, Vol. 38, Nº. 6, 2008 , págs. 1787-1789
  • Idioma: portugués
  • Enlaces
  • Resumen
    • O sapo do gênero Bufo possui nas suas glândulas paratóides uma secreção mucóide contendo toxinas como bufaginas e Bufotoxinas, que são esteróides cardiogênicos. Os cães podem atacar os sapos, entrando em contato com o veneno por meio das mucosas. Um canino, da raça Bulldog Francês, foi encaminhado ao Setor de Patologia Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) para a necropsia com histórico de provável intoxicação por veneno de sapo. Na necropsia o canino apresentava pulmões aumentados de volume, avermelhados e com edema, e rins de coloração vermelho-escura. As alterações microscópicas indicaram congestão, hemorragia e edema pulmonar. Nos rins, no baço e nos linfonodos foi observada congestão. As análises toxicológicas para os venenos de rotina foram negativas. Porém, a investigação do veneno de sapo a partir de cromatografia por camada delgada e gasosa demonstrou resultado positivo, revelando ser esta a causa da morte do canino


Fundación Dialnet

Dialnet Plus

  • Más información sobre Dialnet Plus

Opciones de compartir

Opciones de entorno